• Bifobia e disciplinas do corpo no BBB21

    Lucas Koka Penteado e Gilberto protagonizaram o primeiro beijo gay do Big Brother Brasil (Foto: Reprodução TV Globo)

    Depois do recorde de audiência em 2020 e de uma edição cheia de polêmicas, a expectativa para a estreia do Big Brother Brasil 2021 estava alta neste verão. Entre famosos (Camarote) e anônimos (Pipoca), os participantes finalmente foram revelados e esta passa a ser a edição do programa de mais longa duração: 100 dias de confinamento na casa mais vigiada do país.

    Written on 04.05.2021 in Cultura Read more...
  • Os livros de Literatura NÃO te disseram ISTO!
    Os livros de Literatura NÃO te disseram ISTO!

    Ah! O Brasil no século XIX! Quem não adora pensar sobre a vida nessa época? No Rio de Janeiro, em 1808, a família real portuguesa aportava e trazia inúmeras mudanças para a vida na cidade. Mais tarde, em 1822, um português declarou a independência brasileira em relação a Portugal. No Maranhão, mais para a metade do século, Maria Firmina dos Reis escrevia poemas, contos e romances.

    Written on 21.04.2021 in Cultura Read more...
  • A captura dos Friedman e BBB – antigas tragédias em novas mídias

    Capturing_the_Friedmans-415491547-large.jpg

    Pôster do filme Capturing the Friedmans ©Andrew Jarecki

    Na Captura dos Friedman, documentário realizado pelo diretor Andrew Jarecki, e BBB21, reality show transmitido pela Rede Globo, dizem muito sobre algumas indagações de nossos tempos. Na película, o enredo e estrutura são relativamente simples. Um professor de informática, Arnold Friedman, e um de seus filhos, Jesse, são acusados de envolvimento em práticas pedófilas, a partir da interceptação, por parte da polícia, de revistas pornográficas em sua casa. Após um período de ampla investigação policial, os dois são presos, julgados e condenados a vários anos de prisão.

    Written on 01.04.2021 in Cultura Read more...
  • Linguagem neutra: usar ou não usar, eis uma das questões

    WhatsApp Image 2021 03 23 at 8.08.31 PMDiscussões em torno da linguagem neutra vêm sendo cada vez mais travadas. Entre meados de novembro e o início de dezembro de 2020, ao menos cinco Projetos de Lei (PL) contrários ao uso e ao ensino da linguagem neutra foram apresentados ao Poder Legislativo — PL 2013/2020, PL  3325/2020, PL 5248/2020, PL 5198/2020 e PL 5385/2020. A linguagem neutra é recorrentemente tematizada também no âmbito das mídias sociais, como Facebook, Twitter e Youtube, por exemplo. Em relação a esta última, no dia seis de outubro de 2020 foi transmitida uma live entre a youtuber Antônia Fontenelle e a escritora e professora de língua portuguesa, Cíntia Chagas. De acordo com a youtuber, o intuito de discutir sobre linguagem neutra em seu canal seria o de “abrir os olhos das pessoas” para a “barbárie”. Para tanto, Cíntia Chagas, sua convidada, lançou mão de um argumento comumente apresentado por quem se opõe  à linguagem neutra: “No latim, a gente tinha as palavras femininas, masculinas e neutras. Quando o neutro caiu, o neutro caiu para dar lugar apenas ao masculino. O masculino, ele tem essa função do neutro”, afirmou. Nesse sentido, a professora ainda complementou sua fala e caracterizou o uso da expressão ‘todos e todas’ como “burrice”, pois somente ‘todos’ já incluiria ambos os gêneros masculino e feminino.  Logo, de acordo com tais afirmações, não haveria necessidade de ensinar e utilizar uma linguagem neutra, pois a língua portuguesa já possui recursos de neutralização, como o  uso do masculino genérico. 

    Written on 23.03.2021 in Gênero e sexualidade Read more...
  • O tempo narrativo, o general e as memórias de nossos tristes futuros

    Sempre fui fascinado pela questão do tempo, de como ele se manifesta em nossa consciência e de como nós narramos as nossas experiências ancoradas na percepção que nós temos desse fenômeno. Segundo Agostinho de Hipona (354-430), mais conhecido como Santo Agostinho, a dimensão temporal é parte exclusiva da condição humana, sendo vivenciada em três camadas interconectadas: o presente das coisas passadas, o presente das coisas presentes e o presente das coisas futuras. Como estudioso da linguagem, tendo a compreender que a nossa relação com essas dimensões temporais se dá, principalmente, através do discurso e, mais particularmente, através do discurso narrativo. Ao realizarmos as nossas performances discursivas, a nossa percepção do tempo se restringe ou se expande, dependendo de fatores tais como o nosso contexto social; aquilo que estamos vivendo; nossas emoções (prazer, dor, alegria, tristeza, indiferença etc.); as respostas das pessoas à narrativa que estamos produzindo; as memórias que elas evocam; e, as avaliações que fazemos do mundo e das pessoas ao nosso redor. Por todas essas e outras questões, uma apreensão objetiva do tempo, mesmo no plano narrativo, seria, senão impossível, sempre elusiva e dependente de muitos fatores.

    Written on 08.03.2021 in Política Nacional Read more...

Aqui tudo é

TEXTO

COMTEXTO

CONTEXTO

CONTXT

contxt logo

RECENTES
logo lateral

WhatsApp Image 2021 03 23 at 8.08.31 PMDiscussões em torno da linguagem neutra vêm sendo cada vez mais travadas. Entre meados de novembro e o início de dezembro de 2020, ao menos cinco Projetos de Lei (PL) contrários ao uso e ao ensino da linguagem neutra foram apresentados ao Poder Legislativo — PL 2013/2020, PL  3325/2020, PL 5248/2020, PL 5198/2020 e PL 5385/2020. A linguagem neutra é recorrentemente tematizada também no âmbito das mídias sociais, como Facebook, Twitter e Youtube, por exemplo. Em relação a esta última, no dia seis de outubro de 2020 foi transmitida uma live entre a youtuber Antônia Fontenelle e a escritora e professora de língua portuguesa, Cíntia Chagas. De acordo com a youtuber, o intuito de discutir sobre linguagem neutra em seu canal seria o de “abrir os olhos das pessoas” para a “barbárie”. Para tanto, Cíntia Chagas, sua convidada, lançou mão de um argumento comumente apresentado por quem se opõe  à linguagem neutra: “No latim, a gente tinha as palavras femininas, masculinas e neutras. Quando o neutro caiu, o neutro caiu para dar lugar apenas ao masculino. O masculino, ele tem essa função do neutro”, afirmou. Nesse sentido, a professora ainda complementou sua fala e caracterizou o uso da expressão ‘todos e todas’ como “burrice”, pois somente ‘todos’ já incluiria ambos os gêneros masculino e feminino.  Logo, de acordo com tais afirmações, não haveria necessidade de ensinar e utilizar uma linguagem neutra, pois a língua portuguesa já possui recursos de neutralização, como o  uso do masculino genérico. 

Vi a postagem acima no meu feed do Facebook dia desses1. Ao que parece, a publicação efusiva, com ares de festa e celebração, declarava algo que merecia ser amplamente divulgado. Pode-se inferir logo de cara, em virtude dos tempos doidos que estamos vivendo, que é o resultado de um exame de covid-19 – afinal, não há nada mais solene e apropriado, nos dias de hoje, do que tornar público o resultado negativo de um exame desses.

Picture1.png"Feminismo  é a ideia radical de que mulheres são seres humanos." (Deborah Cameron)

Se você lê notícias regularmente, pode ter notado que muitas mulheres morrem em ‘incidentes isolados’. Entre 22 de maio e 19 de junho, por exemplo, Melissa Belshaw sofreu ferimentos fatais em um incidente isolado em Wigan (um homem foi acusado mais tarde de seu assassinato); em Stockport, o corpo de uma mulher foi encontrado em um parque após outro incidente isolado (um homem foi preso pouco tempo depois); e em outro incidente isolado fora de Norwich, Gemma Cowey foi esfaqueada até a morte enquanto caminhava no terreno de um hospital psiquiátrico fora de uso (a polícia prendeu um homem que desde então foi identificado como seu marido)[1].

Foto de  Genaro Molina para o LA Times via Getty Images. Marcha All Black Lives Matter no mês do orgulho LGBTQ em Hollywood, 14/06/2020

A parada do orgulho LGBTQI+ não aconteceria este ano em Los Angeles. No entanto, em decorrência de um intolerável acontecimento – George Floyd, mais um homem negro assassinado pela polícia americana –, dois movimentos se uniram para protestar: grupos LGBTQI+ e o Black Lives Matter. Estevan Montemayor, presidente da organização LGBTQI+ em Los Angeles, observou em entrevista ao LATIMES que, assim como em 1970, ano inicial da parada, eles deveriam ir às ruas para protestar contra a brutalidade policial e a opressão. Montemayor ainda disse que teve que lidar com a opressão em diferentes frentes, e por isso lutar a favor de vidas negras e trans deve ser um imperativo da comunidade como um todo. 

We’re born naked and the rest is Drag”

Rupaul

Pabllo

Cena do vídeo em que Pabllo Vittar se apresenta para uma multidão na Avenida Paulista em São Paulo em 2017 e afirma “bicha, meu amor, bicha não é bagunça! Nós somos indestrutíveis!” <https://www.youtube.com/watch?v=Hi72x9osSv4>

A história da arte drag brasileira conta com nomes de peso como Nany People, Silvetty Montilla, Rogéria, entre tantas outras. Entretanto, é com Pabllo Vittar, cantora maranhense, que as drag queens voltam a ganhar destaque nas rádios, premiações e programas de TV nacionais e internacionais.

Conhecemos o caso de David Bonderman, o empresário bilionário que pediu demissão como diretor da Uber após sugerir, em uma reunião, que admitir mais mulheres no conselho consultivo da empresa implicaria “mais falatório”. Supostamente, ele quis fazer uma piada; mas mesmo se ninguém tivesse se ofendido durante a reunião, teríamos que nos perguntar quem acha engraçado um cliché tão enferrujado como esse. Uma quantidade gigantesca de comentários sexistas são assim mesmo: impensados, repetitivos, triviais e estereotipados. Mas o que isso quer dizer?

17.06.2020

Teseu-19

Vários dias se passaram desde que a quarentena se impôs sobre a cidade e seus corpos. Agências noticiam o rigoroso aumento pela procura por sites pornográficos. Teseu está há mais de 15 dias isolado no apartamento, distante de aplicativos para encontros sexuais e até mesmo de sites com conteúdo erótico.

Envie uma mensagem